O Que é o Metilfenidato?

O Metilfenidato é um estimulante químico do sistema nervoso central

História do Metilfenidato

O primeiro estudo clínico de que se tem registo, avaliando a eficácia de um estimulante para o tratamento da hiperatividade, data do ano de 1937. Charles Bradley dirigiu, então um estudo em que se administrava anfetamina (benzedrina) a um grupo de crianças hiperativas. Os resultados foram entusiasmantes

Em 1944, sintetizou-se pela primeira vez, a partir de anfetaminas, o metilfenidato.

Em 1954, o metilfenidato foi patenteado. A ação do metilfenidato revelou ter menos efeitos secundários, comparado os outros fármacos mais utilizados.

A companhia farmacêutica Ciba (que viria a tornar-se na Novartis) foi a primeira a comercializar o metilfenidato sob o nome Ritalina, em 1955.

No começo dos anos 1960, começou-se a massificar o uso do metilfenidato no tratamento da Hiperatividade em crianças.

Formula Química do Metilfenidato

"Formula Química do Metilfenidato"

Para Quê é Que é Utilizado o Metilfenidato?

O Metilfenidato é utilizado no tratamento da Hiperatividade e narcolepsia

Como é Que O Metilfenidato Atua?

A atuação do Metilfenidato baseia-se na alteração da comunicação entre neurónios.

O Metilfenidato vai aumentar a quantidade de dopamina e noradrenalina disponíveis nos canais de comunicação entre os neurónios, estes canais chamam-se sinapses.

Contra Indicações do Metilfenidato

O Metilfenidato Nunca Deverá Ser Tomado:

  • Com Inibidores da Monoamina Oxidase – IMAO. Nunca tomar se tiver tomado algum medicamento Inibidor da Monoamina Oxidase – IMAO no espaço de 15 dias antes porque vai estar a por a sua vida em risco. Estes 2 fármacos não podem ser tomados em simultâneo
  • Durante a gravidez e aleitamento. Ainda não se sabe se o Metilfenidato passa para o feto durante a gravidez e para o recém-nascido durante a amamentação
  • Por pessoas com glaucoma
  • Pessoas com tiques
  • Doentes cardíacos – Alguns estimulantes já causaram a morte a crianças com doenças cardíacas
  • Epiléticos
  • Pessoas com Síndrome de Tourette
  • Pessoas com tensão alta

Efeitos Secundários do Metilfenidato

  • Aceleração e ou arritmia dos batimentos cardíacos
  • Agravamento de neuroses e psicoses
  • Agressividade
  • Alteração do comportamento normal
  • Alucinações
  • Anorexia
  • Ansiedade
  • Arrepios
  • Ataques de pânico
  • Aumento ou aparecimento de tiques
  • Cefaleias
  • Choro persistente
  • Comportamento obsessivo compulsivo
  • Confusão
  • Dependência.
  • Desmaios
  • Dificuldade em respirar
  • Dores abdominais
  • Dores de cabeça fortes
  • Dores no Peito
  • Facilidade em criar nódoas negras
  • Febre
  • Fraqueza num dos lados do corpo
  • Garganta inchada
  • Hostilidade
  • Inchaço da face, lábios e/ou garganta
  • Inibição do crescimento e desenvolvimento no uso prolongado em crianças
  • Insónias
  • Má circulação do sangue
  • Náuseas
  • Nervosismo miudinho constante
  • Palpitações
  • Pensamentos ou tentativas suicidas
  • Perda de apetite
  • Perda de peso
  • Problema de visão
  • Queda de cabelo
  • Respiração Irregular e Curta
  • Sensação de desmaio iminente
  • Inquietação
  • Tensão alta
  • Tiques musculares
  • Tonturas
  • Tristeza crónica
  • Urina escura
  • Visão Turva
  • Vómitos
  • Zumbido nos ouvidos

Cuidados a Ter Com o Metilfenidato

Deverá ter sempre o metilfenidato bem guardado porque é um medicamento extremamente perigoso.

Uma overdose poderá causar:

  • Vómitos
  • Tiques
  • Espasmos musculares
  • Alucinações
  • Transpiração excessiva
  • Arritmia e/ou aceleração cardíaca
  • Visão turva
  • Desmaios
  • Morte súbita

Marcas Comerciais de Metilfenidato à Venda Em Portugal

Rubifen
Ritalina

Fonte: Infarmed & Wikipédia

Quer Receber Dicas & Estratégias Grátis Sobre o Deficit de Atenção & Hiperatividade?

Subscreva a minha newsletter

Aprenda a Controlar os Sintomas do Deficit de Atenção e Hiperatividade do Seu Filho

Conheça o meu plano de tratamento